De ter um sonho Para viver O Sonho

Publicado por

Escrito por Mirna P. F. do México, Consultante de Serviços, Produtos Industriais e Construção. Graduada na Universidade Ritsumeikan Asia Pacific em 2013

 

Desde que me lembro, sempre sonhei em ir ao Japão. Como mexicana, com uma educação um tanto humilde, parecia um objetivo absolutamente impossível de alcançar. No entanto, estava sempre lá no fundo da minha mente.

Além disso, como uma mexicana crescendo em uma sociedade com grandes lacunas de desigualdade, também desejei a oportunidade de um dia ajudar a diminuir esse problema e fazer a diferença na minha comunidade. Mesmo quando estava estudando meu diploma de bacharel, ainda tinha esses desejos. Às vezes, eu me imaginava em algum lugar do Japão vivendo uma vida que eu não tinha. Ainda assim, por todos os cenários que corriam na minha mente, nunca poderia ter imaginado um cenário tão perfeito como o que ocorreu quando tive a chance de estudar na Ritsumeikan Asia Pacific University (APU) no Japão. Após a alegria inicial que senti depois de receber a carta de aceitação da APU, meu segundo pensamento mudou para os meios de como eu iria me sustentar enquanto eu estava lá. A APU ajudou a aliviar minhas preocupações, me dando uma mão muito necessária através da bolsa de estudos JASSO, uma bolsa do governo japonês para ajudar estudantes internacionais, bem como outros programas que não só me apoiaram, como também muitos dos meus amigos que vivem lá.

Antes de ir ao Japão, eu estava bastante confiante de que o México tinha uma cultura acolhedora e envolvente. O Japão, por outro lado, eu tinha lido que seria menos calorosa dado que eles tinham diferentes maneiras de se aproximar pessoalmente e coisas do gênero. Assim, fiquei preocupada em ter dificuldades em me adaptar ao Japão, mas não poderia estar mais errada. Sim, o México é uma cultura calorosa. No entanto, o Japão também é certamente algo a ser visto em relação a esse aspecto. Embora no começo minha fluência no japonês não tenha sido das melhores, para dizer o mínimo, a barreira do idioma não foi um problema. Especialmente quando os japoneses te tratam como se você fosse um deles, com tanta educação e consideração, que é difícil não estar ansiosa pela paciência e disposição que eles têm para entender os outros, mesmo nos casos em que faltam algumas habilidades na linguagem.

Tendo essa experiência, eu quis explorar ainda mais a cultura japonesa. Abaixo, eu e meus colegas da APU tocando "Taiko", um tipo de tambor japonês. O fato de que a cultura do Japão é tão diferente da norma "ocidental" me ajudou a apreciar coisas que eu nem sequer havia contemplado antes. Mesmo as coisas que eu não julgava importantes, eu podia agora ver uma nova luz, e isso me ajudou a reavaliar o que eu sempre vi como fatos de vida imutáveis.

Se você está lendo isso e pensando nas possibilidades de onde ir e onde estudar, há muitas coisas que eu poderia te dizer sobre por que eu recomendaria que você considerasse, antes de mais nada, a APU. No entanto, vou me contentar em compartilhar o único ponto que mais me impressionou - talvez seja algo que você não pensou antes, como eu mesmo não esperava: o ambiente multicultural diversificado. Estou bastante certa de que o mix cultural que você encontrará no APU seria difícil de encontrar em qualquer outro lugar.

Ao estudar meu Mestrado em Política de Cooperação Internacional na APU, tive a oportunidade de conhecer e, mais importante, trabalhar com pessoas de diversos países. Alguns dos quais (eu tenho um pouco de vergonha de dizer), eu nem sabia que existia antes. Essa experiência, abriu uma série de visões de mundo que eu anteriormente não poderia ter entendido, para conseguir um entendimento e um terreno comum com pessoas que possuem perspectivas tão diversas e distintas. Esta é a vontade que me ajudou a alcançar o meu sonho, ajudando-me a alcançar o entendimento mútuo com os outros e poder trabalhar em conjunto com a minha equipe no trabalho do governo local após a minha formatura.

Antes de ir para a APU, sonhei em ir ao Japão e fazer algo para melhorar minha comunidade. Depois de me formar na APU, graças ao conhecimento valioso que obtive dos professores da APU e das aulas de vida do Japão, tenho vivido esse sonho todos os dias.